Palavra amiga

Olá colega!

Seja bem vindo, a esse blog, que foi construído com muita dedicação, amor, paciência, pesquisa, leitura e discernimento entre o quê colocar e o que ficar para depois…

Foram utilizadas inúmeras horas, mas tudo bem, em prol da melhoria da educação, nós educadores comprometidos, não medimos esforços. Tentamos sempre estar um passo à frente das necessidades dos nossos educandos, de modo a lhes proporcionar todas as inúmeras possibilidades possíveis, em nome do SABER, do conhecimento.

Portanto, cabe a nós, uma dedicação maior, onde você é que determina o limite, sabendo que deu tudo de si, não sendo mais possível ir além, no entanto deixando um pouco de si, para que o próximo possa dar continuidade, seja de onde você parou, seja da utilização de suas reflexões, com novas inserções e colocações mais adequadas para o momento presente.

Sugiro a você, colega, amigo de curso, que não desanime, que não seja um mero reprodutor de um conhecimento já estabelecido, ao contrário, saia da posição da acomodação, do anonimato e embrenhe-se no mundo de uma nova era, onde a tecnologia se faz presente, seja na zona rural ou urbana, na sua ida para o trabalho, independente do tipo de condução: ônibus, carro particular, moto, bicicleta, charrete, até mesmo a cavalo ou a pé. O certo é que não podemos ficar de olhos fechados, esperando que o tempo mude a nosso favor, faço aqui alusão ao filme de curta metragem: “Vida Maria”, de Marcio Ramos, que recebeu inúmeros prêmios entre os anos de 2006 a 2007(filme este que vimos no 4º encontro presencial).

Logo sugiro que você, com todo respeito, mude ou ao menos reflita sobre alguns conceitos e atitudes:

  • Seja dedicado, isto é, procure ser um aprendiz autônomo e ter como característica ser cooperativo nas atividades em grupo. Ser autônomo a distância é ser criativo e propor ações, visando à comunicação dialógica, relacional, entre os componentes da equipe. Deve-se, nas intervenções individuais, caminhar na direção das soluções das questões coletivas;
  • (comece agora, deixando aqui mais uma reflexão do que seria necessário para ser um cursista dinâmico a distância!!!)

Prof. Marcelo Xavier Travassos

O perfil do novo professor

PERFIL ESPERADO DO PROFISSIONAL APÓS O TERMINO DO CURSO.

O profissional formado no curso Tecnologia na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC (100h) deverá ser capaz de perceber o papel das tecnologias de informação e comunicação nos setores da cultura contemporânea e de situar sua importância para a educação.
Como condição necessária para isso, ele deve conhecer diferentes mídias com as quais pode trabalhar com o uso da tecnologia digital, identificar novas linguagens trazidas por essas mídias e compreender o respectivo potencial para o ensino e a aprendizagem, situando-as no contexto da escola em que atua.
Deve ser capaz de planejar situações de ensino focadas na aprendizagem dos alunos, usando diferentes tecnologias que os levem à construção de conhecimento, à criatividade, ao trabalho colaborativo e resultem efetivamente no desenvolvimento dos conhecimentos e habilidades esperadas em cada série ou ciclo.
Finalmente, mas não menos importante, o profissional formado no curso Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC deve perceber-se como sujeito ético e comprometido com a qualidade da escola e com a educação dos cidadãos brasileiros.

Ser Professoor

Ser Professor,

Aprendi nos livros e na lida, no contato direto e indireto com os colegas de profissão a minha paixão: o conhecimento. Se nos curtos minutos que tivemos durante o curso, ao qual fui muito gentilmente convidado, foi para mim, muito mais que um ensinamento e sim uma troca de experiência e vivência. Agradeço a Deus Todo Poderoso, mais uma vez ter condições físicas e mental, de ter aprendido com os mestres do saber, o que é ser Professor.

Na verdadeira arte de ensinar, de conduzir os pensamentos inúmeros dos educandos, é que me concretizo como ser humano, capaz de errar e aprender com este erro. De ter a capacidade de instalar nos pensamentos dos meus ouvintes, a incerteza de que a certeza é uma só, “só sei que nada sei”(Sócrates), pois a sabedoria ultrapassa nossos limites e não temos como percebê-la na sua totalidade. O verdadeiro sábio é aquele que se coloca na posição de eterno aprendiz.

Despeço-me de vocês queridos companheiros de luta e eternos aprendizes com dois pensamentos, de colegas de infortúnio, que revelam o mais profundo do meu intimo como ser humano:

[…] Não sei o que é o meu corpo, nem o que são os meus sentidos, nem o que é a minha alma, e até esta parte do meu ser que pensa o que eu digo, refletindo sobre tudo e sobre si própria, não se conhece melhor do que o resto. Vejo-me encerrado nestes medonhos espaços do universo e me sinto ligado a um canto da vasta extensão, sem saber porque fui colocado aqui e não em outra parte, nem porque o pouco tempo que me é dado para viver me foi conferido neste período de preferência a outro de toda a eternidade que me precedeu e de toda a que me segue.

Só vejo o infinito em toda parte, encerrando-me como um átomo e como uma sombra que dura apenas um instante que não volta.

(PASCOAL, 2002, p.8)

Na lembrança, o passado se torna presente e se transfigura, contaminado pelo aqui e o agora. Esforço-me por recuperá-lo tal como realmente e objetivamente foi, mas não posso separar o passado do presente, e o que encontro é sempre o meu pensamento atual sobre o passado, é o presente projetado sobre o passado.

(SOARES,1991, p.37-8)

Reflexão:

Se percorremos até o fim o caminho do conhecer, sempre nos encontraremos diante da relação entre sujeito cognoscente e objeto conhecido. Mas, nesse âmbito, mais do que falar de liberdade, deve-se falar, em sentido estrito, de autonomia. Isso significa que, à medida que se percorre o caminho do conhecer, adquire-se uma consciência cada vez maior da própria autonomia, que é dada pelo próprio poder sobre o objeto ante o qual se está. Tal poder se mede na constatação de que, se o objeto ainda não e conhecido, pode, porém ser conhecido ao longo do tempo. Trata-se de um horizonte de possibilidade em nível lógico que pode encontrar sua atualização, justamente, no decorrer do tempo.

(PENZO, Giorgio; GIBELLINI,Rosino.Deus na Filosofia do Séc.XX.Ed.Loyola:São Paulo-SP,1998.663p.)

Prof. Marcelo Xavier Travassos

Direitos Autorais

Licença Creative Commons

Formação Proinfo 100 horas – Tecnologias na Educação Ensinanado e Aprendendo com as TIC de Prof. Marcelo Xavier Travassos é licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution-NoDerivs 3.0 Unported.
Based on a work at http://proinfo100h.profmarceloxt.com.br.

O Mito da Telinha

Partindo de uma discussão dos limites e possibilidades abertas pelas inovações tecnológicas na educação, o objetivo do presente trabalho é salientar que a introdução de novas tecnologias na educação (TV, vídeo e/ou computador) pode gerar resultados positivos ou negativos, dependendo do uso que o professor faz dessas tecnologias. Salienta-se, também, a necessidade de que mais discussões sobre o efeito dessas inovações sejam realizadas e de que os professores estejam preparados para agir neste novo contexto que se apresenta, possibilitando a desmi(s)tificação do computador em sala de aula.
Clique aqui para ler mais…

Ferramentas ‹ Formação Proinfo 100 horas – Tecnologias na Educação — WordPress

Ferramentas ‹ Formação Proinfo 100 horas – Tecnologias na Educação — WordPress.

Calendário

dezembro 2016
D S T Q Q S S
« set    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias